terça-feira, 11 de dezembro de 2018

Negar o que é bom...

Alguém já teve a sensação de estar rodeado de pessoas que torcem contra, ou aparentemente, torcem contra, apenas porque não tem a mesma motivação?
Explico.
Eu pude colocar meus filhos em várias atividades ( quando digo pude, é com muita gratidão, porque tive o tempo, o dinheiro e a colaboração dos meus filhos, enfim, tive tudo a favor), desde os 4 anos, e depois eles foram escolhendo aquelas que mais gostavam.
Eles fazem muitas coisas sim, mas temos conseguido "levar o barco adiante", e eles tem desenvolvido bem, não sendo brilhantes, são crianças que vão aprendendo um pouco de tudo... Mas sempre tem alguém a torcer o nariz e dizer: Mas eles tem tempo de brincar?
Tem, meu povo, tem. Tem amigos, tem fins de semana, tem a casa da avó e muito tempo em tablet!
Eu gosto de cozinhar, e quando conto que fiz alguma coisa, alguém diz:  " Credo, mas perde tempo fazendo isso?". Perco...povo, aliás ganho... o saber não ocupa espaço e sinto imenso prazer quando alguém elogia algum prato que eu fiz, fico mesmo feliz.
Quando vou à ginástica, sempre tem alguém a dizer: " Credo, para que ginástica?" . Esse eu nem repondo, claro que toda a gente sabe a razão da ginástica... não é?
Da vontade de fazer aquela voz do Lobo Mal e reponder: " é para comer melhooooor"...
Povo, eu também sinto um misto de inveja/admiração quando vejo o esforço das outras pessoas, mas sabe o que faz bem, o que lava a alma?  É admiti-lo e dizer: " E, pá! Grande força de vontade, parabéns".
E pronto, mais nada...

terça-feira, 6 de novembro de 2018

Começo, meio e fim!

Há pouco tempo, escrevi para uma amiga querida uma das minhas filosofias sobre a vida.
Escrevi algo mais ou menos assim: só podemos dizer que a vida deu certo quando ela acaba, antes disso seria imprudente dizer que a vida correu bem, muitas vezes estamos a falar e no mesmo instante pode acontecer algo e mudar todo o rumo... portanto nunca se sabe!
Assim, para termos a certeza que tudo correu bem, temos que esperar o final.
E hoje, infelizmente, ou felizmente, dependendo da perspectiva, posso afirmar que a vida do Doutor (meu rico sogrinho), deu certo.Teve uma vida longa, agita e feliz.
Viveu com quem amava e foi amado em retorno. Esteve sempre perto da família, todos os dias da sua vida.
Nunca ficou só. Acamado apenas numa última semana, se calhar por ter pena de nos deixar de repente, e precisar de uns dias pequenos para que pudéssemos ir dizendo um adeus, sem pressa e sem delongas, na justa medida.
Já tem uns anos, mas gosto dessa foto
Sempre será lembrado por muitas razões: por ser tagarela, por ser hipocondríaco, por repetir histórias, por ser extremamente preocupado, mas acho que sobretudo lembraremos o amor que ele tinha pela família, por sua maneira de dizer sempre : " Olá minha querida", ou " Onde está o nosso queridinho" ( referindo-se ao meu marido). Pela preocupação que sempre teve em nos dar tudo, tudo que tivesse ao seu alcance, sem a menor sombra de egoísmo, pensando sempre nos seus filhos e esposa.
Já falei uma vez do Doutor aqui, e nessa ocasião escrevi tudo o que pensava dele.
Mais uma vez quero ressaltar a grande gratidão que tenho por tudo que fez por nós, por ter lutado tanto para nosso bem estar!
Um beijo Doutor, mesmo sendo um chatinho, vamos sentir muito sua falta e lembrar de si com um grande sorriso! Descanse em paz!



quinta-feira, 25 de outubro de 2018

Pixels!

Ontem estava o Gui, a fazer um trabalho de casa, em que tinha que desenhar a sua "linha do tempo", está claro, começava com o nascimento, um desenho de um bebê, com cordão umbilical e tudo, mas "nas partes íntimas" tinha o desenho de uns quadradinhos, e eu estava a olhar, e ele disse com um ar muito responsável:
" Mãe, eu pixelizei a piloca, não te preocupes!"

Morri! kkkkk

sexta-feira, 19 de outubro de 2018

Gui- 7 anos!

Temos tido uns dias tão corridos que ainda não tinha tido tempo de cá vir falar do meu menino maluquinho.
Tenho um em casa que completou 7 aninhos há poucos dias.
O que dizer do meu menino???
Que o adoro e que ele não passa um único dia sem dizer que me adora.
Que ele tem muita vontade de se divertir, de contar e ouvir piadas.
Que ele adoraria assistir Cartoon Network o dia inteiro, mas que a sua pequena vida atarefada não permite muitas horas de TV.
Que ele é perfeccionista e inteligente. Esperto, perspicaz e muito curioso.
Que ele é um magricelas, com a cara do avô Jorge.
Que ele tem um bom coração, gosta do seus amigos e adora a sua família.
E que tem uma grande família que o adora... o nosso minorquinha, a nossa coisinha fofa!
O nosso amado Gui!
Parabéns com muito atraso, mas com o amor de sempre!

terça-feira, 25 de setembro de 2018

Paixões e política

Eu sou uma pessoa super emocional.
Sou extremamente apaixonada por minha família directa, meu marido, filhos, irmãos.
Sou apaixonada pela Espanha, sinto-me tão feliz ali!
Amo sushi.
Adoro um jantar regado a vinho e cerveja.
Adoro estar com amigos, adoro uma boa conversa ( acompanhado de uma cerveja, ainda melhor!).
Sempre fui apaixonada pelas escolas dos meus filhos, por assistir a evolução deles.
E ponto. Ponto final.
Tenho uma dificuldade tremenda em entender como as pessoas podem ter paixão por políticos e explico: Acho sim que o mundo está polarizado, acho sim que nesse momento uma pessoa tem que se posicionar entre direita e esquerda, pois não há alternativa, é triste, mas é assim. Mas, defender um candidato com unhas e dentes, ver nele senão boas intenções e verdade... ai... aí é duro. Claro que cada pessoa pode se identificar mais ou menos com um lado, com uma posição, mas o que tenho visto é uma cegueira total, as pessoas abraçam uma posição e defendem sem parar aquilo, com os argumentos mais estapafúrdios, mais idiotas.São os de direita defendendo torturadores, são os de esquerda a defender os ditadores, e uma pessoa pensa um minuto e vê que tudo foi errado... mas não, defendem, defendem profundamente, sem dó, parecem que tem um compromisso eterno com uma pessoa ( que nem sabe da existência desse admirador inveterado).
Detesto conversar sobre política quando a outra pessoa antes mesmo de ter uma discussão lógica quer defender um candidato, um partido.Não é uma discussão de um tema, é uma disputa, que nada mais faz que irritar, parecem advogados (do diabo).
Já vi gente que no geral é tão razoável, entrar num discurso tão sem lógica a defender o indefensável!
Defender um político que o roubou, que claramente roubou o país...que raio de amor é esse? Defender um troglodita, que deixa pingar populismo, por que Senhor?
Enfim, são gostos.E eu não gosto, sorry.
Haja cú para aguentar!

quarta-feira, 12 de setembro de 2018

Poupando tempo!

Clap! Clap! Clap!
Palmas para mim que eu bem mereço!
Tentando organizar-me para o começo das aulas, deu-me uma coragem e planeei tudo, fui ao supermercado e coloquei "mãos à obra", sem dó nem piedade...
Poucas horas depois tinha todos os jantares prontos para congelar para meus filhos por cerca de um mês ( eu e meu marido não jantámos, e as comidas são apenas para os dias de semana!).
Sou linda, linda e linda!


4 porções de pescada! Já semi-prontas... só por no forno!
4 bolonhesas... só descongelar e cozinhar uma massa!


4 porções de frango, prontinhas, acompanha com arroz, batata!
3 porções de almôndegas!
1 porção de hambúrguer! 


Carninha de porco já limpinha, cortadinha!
O mesmo com 3 porções de perú!

Tudo bem arrumadinho!
Coube tudo numa única gaveta do congelador!
E ainda mais umas postinhas de salmão!

Para que eu não me confunda nem me esqueça, fiz uma lista com as quantidades, conforme eu utilize cada porção, vou dando baixa!
Quem é a coisa mais fofura do planeta?Hein? hã?

quinta-feira, 6 de setembro de 2018

Séries.. ai as séries...

Meu caso com as séries é antigo e já falei dele aqui e aqui.
Ultimamente tenho me apaixonado com cuidado por cada nova série que vejo, pois já tive algumas desilusões e explico.
Há uns meses comecei a ver uma série americana, chamada "Here and Now", adorei... mas logo percebi que não haveria segunda temporada! Como assim? E o fim da história? Estão de sacanagem comigo?
Agora comecei a assistir no Netflix a série mexicana "La Casa de las Flores", estou assim, rendida! Enamorada! Mas ainda não vi sinais de uma sequência!
Por isso peço encarecidamente aos senhores que produzem as séries, de duas uma:
O façam séries sem interesse, que não nos dê vontade e curiosidade sobre como ficará a história, ou please, continuem a série até algo que pareça o fim!
Pode ser?