quinta-feira, 17 de janeiro de 2019

Respeite os direitos autorais!!!

Sou, provavelmente, uma das pessoas mais implicantes do planeta.
Na coleção das minhas implicâncias, uma de destaque é a falta de originalidade das pessoas.
Detesto quando uma pessoa repete a uma ideia de outrem e fala na 1ª pessoa, sem dar crédito à fonte da ideia.
Obviamente nossos pensamentos são baseados em uma porção de vivências que vamos tendo, concordando e assimilando. Acho impossível determinar onde acaba o pensamento de outra pessoa, e começa o meu, mas consigo  acrescentar algo, diminuir alguma coisa, penso, logo, nem sempre repito exatamente a ideia. Mas, no caso de eu pensar a mesma coisa, a ponto de repetir a mesma ideia, acho importante dizer algo do gênero: " Como diz tal pessoa, acho isso".
Odeio, odeio, ouvir com atenção alguém e depois perceber que aquilo foi uma repetição, nada original. Irrita-me, que posso fazer?
Detesto quem tem "gurus" e os seguem cegamente. Pensam igualzinho, acham graça nas mesmas coisas, acham beleza nas mesmas coisas... Eu gosto de muita gente, queria ser como muita gente, mas acho que continuo sendo euzinha, não consigo ter uma admiração desmedida... mas lá está, se calhar acabo sempre por implicar com alguma coisa, inclusive com aqueles que eu admiro...
Destesto quem segue um partido político cegamente, um time, uma pessoa, e odeio sobretudo quando a pessoa faz aquele ar sobranceiro e ... repete a ideia de outra pessoa!
Prefiro errar, prefiro ser básica, mas ser original.

quinta-feira, 10 de janeiro de 2019

Uma questão de orgulho

Li algures, aqui e ali, meio enviesadamente, que um escritor francês, chamado Yann Moix, declarou que não sente atração por mulheres de 50 anos, que prefere as de 25.
Bem, gerou uma celeuma a volta do assunto, tanta mulher indignada!
Em primeiro lugar, acho que é meio óbvio, uma mulher de 25 bem feita, tem vantagens físicas para uma mulher de 50 também bem feita. A pele, o brilho, os cabelos naturais, na minha opinião nunca se comparam, é uma questão de juventude! Estou com 45 anos e tenho amigas com filhas na onda dos 20 anos, e seria patético querer me comparar com qualquer uma delas. Somos diferentes, qual a dúvida?
Em segundo lugar, acho que o senhor pode gostar do que ele gostar, eu nem o conheço, porque me ofenderia com a opinião de um homem que eu não conheço? Aliás, se meu marido me dissesse que ele acha mais atraente uma mulher 20 anos mais nova que eu... qual o espanto? Mas não é óbvio?
( claro que diferente seria ele dizer que vai me deixar para ficar com outra, onde entram questões de personalidade, passado em comum, mas mesmo assim, se tal acontecesse, olha... era a vida... )
Em último, mas mais importante, na minha opinião, euzinha, jamais, jamais, iria discutir ou argumentar com alguém se tal pessoa me dissesse que eu não sou atraente... caramba, não acha, não acha, é gosto FOR GOD SAKE! Não tem como eu convencer que eu " ainda valho a pena" , aliás, coisinha humilhante essa de ficar a discutir a minha aparência com alguém, não acham?
É a vida, mulherada...
Um pequeno conselho... preocupe-se com quem gosta de você, com quem lhe curte...O tal  francês não curte, como imagino que 99,99999999999999999999999999% da população também não... ele só declarou... e lá o cão do meu vizinho latiu... and life goes on!

quinta-feira, 3 de janeiro de 2019

2019...

Essa coisa de um novo ano... tão estranho.
Por que, apesar de estar nessa vida já há muitos anos, eu ainda tenho a sensação que com um novo título, para uma determinada quantidade de tempo, algo vai mudar?
O que que muda? O que era na segunda que mudou na terça? (Além da certeza que vou errar muitas cartas, insistindo no 2018....)
Já deveria ter aprendido que tudo segue mais ou menos como sempre...mas há qualquer coisa que cheira a esperança, que cheira a mais uma chance, mais uma oportunidade, ou, um virar de uma ampulheta, que faz a contagem começar novamente e nos revestir de uma força inicial, que ficou há algum tempo pelo caminho.
Sei lá, racionalmente a passagem de ano não traz nenhuma mudança acarretada, é mesmo e apenas uma mudança de ano, que vale o que vale, e aí, nesse ponto que acredito que todos nos agarramos, o valor de um novo botão de START, uma validade que ganhamos, para ver o que vamos fazer nessa nova fase...
Quero acreditar que 2019 vai ser um ano espetacular, que vou aprender fazer coisas novas, que vou conhecer novos lugares, que vou desfrutar muito. Sim, verdade, estou com esperança e vou me esforçar para que seja um ano FANTÁSTICO!

domingo, 30 de dezembro de 2018

São Silvestre 2018!

Há anos que participo em mini- maratonas (10 km), mas, não sei a razão, esse ano me empenhei um bocadinho. Geralmente chegava no dia da prova sem nenhum preparo, e simplesmente corria... era pelo convívio, era um programa como outro qualquer. Esse ano não foi muito diferente, mas a verdade é que treinei durante umas duas semanas, um treino fraquinho, mas um treino. O que para muitos seria algo patético, para mim foi uma pequena mudança, um esforço. Melhorei muito meu tempo, de péssimo fui para mal, mas... foi uma evolução.
E é basicamente isso que quero para minha vida, um certo equilíbrio, melhorar sem perder a perspectiva, exigir de mim mesma, mas também saber me congratular, reconhecer minhas forças e minhas fraquezas... e continuar a ser feliz!
São Silvestre de Lisboa...Done! Fiquei contente comigo mesma!

terça-feira, 18 de dezembro de 2018

Uma Amiga Genial

Geralmente quando um livro é um top de vendas, quando toda a gente fala do livro, eu, na minha arrogância, fico a pensar que deve ser um livro médio, para cair assim no gosto de tanta gente.
O que é estúpido, pois de quase tudo que li, os livros que mais gostei e nunca me esquecerei são livros famosos, pouquíssimos foram algo que descobri sozinha...
Mas depois da saga dos vampiros e das sombras de Grey, que nunca li, criei um certo preconceito com os livros muito populares.
Comecei a ver aqui e ali uma tal de "Elena Ferrante", uma  "Amiga Genial" , e rapidamente torci o nariz... imaginei uma história  simples e tonta. Não pensei muito, não me interessei.
Mas, como tudo na vida, dependendo de quem gosta, a gente dá ou não um crédito, uma amiga, a quem oiço muito, falou-me do livro...disse categoricamente: Tu vais gostar! Tenho a certeza!
Tanta a certeza ela tinha que no outro dia apareceu em casa e ofereceu-me o livro!
QUE DELÍCIA DE LIVRO!
Em poucos dias já está lido e guardado no coração!
Li com vontade, sem medo dele acabar, porque é uma tetralogia e o segundo já cá canta... e o 1º já foi devidamente emprestado, porque um bom livro tem que ser divulgado!
Amei, amei!
Recomendo vivamente!
"Uma Amiga Genial" - Elena Ferrante.
Obrigada Sílvia, tinha toda a razão!

segunda-feira, 17 de dezembro de 2018

O Método Kominsky

Adoro quando alguém me indica uma série e ela é mesmo boa!
É que há muitas opções e nem sempre o nome, o cartaz são cativantes.
Acho que geralmente eu começo a assistir uma série mesmo através do "boca a boca", alguém me diz que é boa, daí eu tento!
O Método Kominsky foi uma indicação da "Santasogra", e eu fiquei rendida.
É basicamente dois senhores a conversar, de maneira muito engraçada, muito espirituosa sobre a vida...
Mas é disso que eu gosto, um diálogo que parece despretensioso, mas que nos faz pensar, emocionar e mostrar a algumas verdade da vida.
Adorei, assisti num instantinho em fico a pensar se terá uma segunda temporada...
Assistam que vale a pena!

terça-feira, 11 de dezembro de 2018

Negar o que é bom...

Alguém já teve a sensação de estar rodeado de pessoas que torcem contra, ou aparentemente, torcem contra, apenas porque não tem a mesma motivação?
Explico.
Eu pude colocar meus filhos em várias atividades ( quando digo pude, é com muita gratidão, porque tive o tempo, o dinheiro e a colaboração dos meus filhos, enfim, tive tudo a favor), desde os 4 anos, e depois eles foram escolhendo aquelas que mais gostavam.
Eles fazem muitas coisas sim, mas temos conseguido "levar o barco adiante", e eles tem desenvolvido bem, não sendo brilhantes, são crianças que vão aprendendo um pouco de tudo... Mas sempre tem alguém a torcer o nariz e dizer: Mas eles tem tempo de brincar?
Tem, meu povo, tem. Tem amigos, tem fins de semana, tem a casa da avó e muito tempo em tablet!
Eu gosto de cozinhar, e quando conto que fiz alguma coisa, alguém diz:  " Credo, mas perde tempo fazendo isso?". Perco...povo, aliás ganho... o saber não ocupa espaço e sinto imenso prazer quando alguém elogia algum prato que eu fiz, fico mesmo feliz.
Quando vou à ginástica, sempre tem alguém a dizer: " Credo, para que ginástica?" . Esse eu nem repondo, claro que toda a gente sabe a razão da ginástica... não é?
Da vontade de fazer aquela voz do Lobo Mal e reponder: " é para comer melhooooor"...
Povo, eu também sinto um misto de inveja/admiração quando vejo o esforço das outras pessoas, mas sabe o que faz bem, o que lava a alma?  É admiti-lo e dizer: " E, pá! Grande força de vontade, parabéns".
E pronto, mais nada...